Cartilhas e publicações da ReSA​

No balaio de palha trançado por mãos pintadas pela terra, se carrega alimento do bom. A produção da roça, as sementes crioulas. As tramas carregam também a representação da cultura popular e camponesa. E, assim, trazendo esse majestoso instrumento de trabalho e partilha, apresentamos o nosso Balaio da Semente Crioula: Arte, Cultura Popular e Agrobiodiversidade.

Esse balaio foi trançado e ganhou forma a partir do chamado artístico cultural, realizado através das redes sociais da ReSA em 2021, aos artistas populares de todos os cantos desse país. O convite foi para que compartilhassem suas manifestações culturais que expressam a luta pela preservação das sementes crioulas, o acesso à terra, a produção de comida de verdade no campo e nas cidades, a alimentação saudável e a vida camponesa. 

Assim, em cada página desse material você verá quão bela, vasta e diversa foi a colheita! Poesias, composições, músicas, pinturas e ensaios fotográficos colorem e dão vida ao balaio da arte, cultura popular e agrobiodiversidade, graças às mãos talentosas de mulheres, homens, juventudes e artistas populares que, através da sua essência e da sua capacidade de criar, materializam a luta do povo brasileiro em cada palavra, traço e olhar.

Portanto, deixamos aqui nosso profundo agradecimento a todas as pessoas que seguem resistindo, lutando diariamente pela arte e a cultura brasileira em todas as suas dimensões.

Para você, querida leitora e leitor, se sinta mais que à vontade para desfrutar dessa saborosa colheita. Convide quem está perto também! A cultura popular só se faz e se mantém em comunidade.

Seguimos plantando e colhendo as sementes da cultura popular!

Ótima leitura!

Acesse aqui o Balaio.

Plantô, Brotô: produção de alimentos e conservação de sementes crioulas

Se achegue em nossa roda de mate e boa prosa! Aqui aprenderemos com as famílias guardiãs um pouco do processo de produção, seleção, armazenamento e partilha de nossa maior riqueza, que são as sementes crioulas. Nessa grande roda, as histórias contadas por famílias guardiãs – camponesas, indígenas, quilombolas e urbanas, movimentos populares, assessoras e assessores técnicos, pessoas vinculadas à Rede Sementes da Agroecologia (ReSA) que se dedicam à conservação das sementes crioulas no Paraná.

Como veremos, as sementes crioulas são a base dos sistemas agroalimentares nos territórios agroecológicos e a base para produção de alimentos saudáveis. Importante ressaltar que a ReSA entende as sementes crioulas como toda forma de reprodução da vida, ou seja, inclui sementes, mudas, raízes, ramas e raças animais.

Esta publicação, organizada em três partes, tem o intuito de partilhar conhecimentos passados de geração a geração conservados por famílias agricultoras de diferentes regiões do estado do Paraná, ampliando a rede de guardiãs e guardiões das sementes crioulas. E, também, uma reflexão crítica sobre o processo de industrialização do campo de um lado e do trabalho incansável de preservação da agrobiodiversidade do outro.

Estarmos em rede, organizadas e organizados em nossos territórios, é resistir e lutar pela continuidade da vida. Boa leitura!

Acesse aqui a publicação.

Guardiãs de sementes do Paraná – Terra, alimento e preservação da vida pelas mulheres

Ficha técnica
Realização: 
Rede de Sementes da Agroecologia (ReSA)
Autoras dos textos: Emma Siliprandi, Geani Paula de Souza, Islandia Bezerra, Janete Rosane Fabro, Lizely Borges, Luiza Damigo , Naiara Andreoli Bittencourt, Neltume Espinoza e Talita Slota Kutz
Organização: Terra de Direitos
Revisão: Silmara Kreiner Vitta
Projeto gráfico e diagramação: Ana Luisa Dibiasi
Apoio: Heinrich-Böll-Stiftung
Março – 2021